quarta-feira, 29 de julho de 2009

MAMA ÁFRICA

Já no século XVII o padre Antônio Vieira escreveu "O Brasil tem o corpo na América, mas a alma na África". Se analisarmos bem, considerando a época em que a frase foi escrita, pode-se dizer que as palavras do religioso foram certeiras, afinal, a cultura brasileira africanizou-se. Exemplos? Não Faltam! Capoeira, samba, candomblé, sem falar em relação ao fator alimentar na qual a lista é extensa, a exemplo de azeite de dendê, pimenta malagueta, pratos como feijoada, vatapá, tutu de feijão, acarajé, angu, entre outros que caíram na graça do paladar brazuca.
É óbvio que a nação verde e amarela, o famoso país do futebol, não teria a ginga que tem, as passistas das escolas de samba não dançariam como dançam, alguns religiosos não rezariam como rezam, as pessoas não comeriam o que comem, se não fosse a herança da cultura africana, formada por, segundo a historiografia oficial brasileira, 4,5 milhões de escravos, que cruzaram o Atlântico dentro dos porões dos navios negreiros.
Resolvi fazer esse comentário pertinente a ligação histórica entre o Brasil e o continente africano, pois recentemente, quando comentei sobre o "Projeto Malawi" com um amigo, ele perguntou:
- Por que Malawi?
Respondi mais ou menos no embalo desses argumentos históricos, finalizei dizendo que o Brasil foi uma nação erguida por meio de milhões de braços escravos. Não é à toa que somos um dos maiores países mestiços da circunferência terrestre.
Fiquei contente em observar que o meu amigo entendeu que temos um laço fortíssimo com os povos africanos, e isso já justificaria qualquer tipo de ajuda.

6 comentários:

Diógenes David disse...

Ótima referencia feito no texto. Que continente é este que com tanto sofrimento mantém tantos sorrisos estampados nos rostos. Isso é motivador.

Ricardo disse...

Viva nossa mãe África, berço da humanidade...salve nossos irmãos africanos!

Diego Alencar de Moura disse...

Pode se até dizer, que o Brasil, é o maior país onde ha uma miscigenação cultural, racial e até religiosa, que convivem até certo ponto, harmonicamente, e grande parte dessa cultura, veio da Africa, e aqui se transformou na nossa cultural.Belo texto!!

Mariangela Braga disse...

Fábio, como sempre me surpreendendo com seus belos e interessantes textos. Sem dúvida nenhuma você sabe o que diz e escreve. E quando não sabe vai atrás! Parabéns! E que venham os próximos!

ucoiso disse...

Temos a alma nessa negritude! No batuque, no rebolado, nas sinuosas ancas de nossas meninas!!! Parabéns pela iniciativa e ótimo texto!

Saribera disse...

A África é um continente ainda desconhecido até mesmo no círculo intelectual brasileiro. A bibiografia sobre o continente ainda é muito pobre e é fundamental que sejam escritos textos sobre esse continente e sobre Malawi. É muito importante entender essa parte do mundo para podermos analisar a atual conjuntura do capitalismo e o que ele traz de bom e o que ele traz de mal. Torço para que o projeto continue e que venham belos textos pela frente.
Abraço,
Sérgio Saribera